O escuro que engole

a luz não a faz sumir -

mesmo pelas clarabóias

brotando nas paredes

insistentes a subir -

O escuro que aumenta

não ausenta a comprimida -

inquieta e atenta luz

nefasta e lenta -

que nascida da sombra

inicia intermitente subida

No escuro que engole

Claudionor contente -

as cortinas afasta

a fim de procurar

a luz que tanto mente -

Lanterna indecisa

eletricidade aqui não chega

com tanta intensidade

quanto ostenta

a fenda — concisa -

do pavoroso penhasco

que — vaporoso -

cinco vezes se formava

em sua fugidia razão -

submissa consente

torpe — caindo -

armadilha secreta da silenciosa terra

camuflando guerra — profundamente

travada — não se sabe se no céu

visto na janela ou na trama da tela

em nenhum outro lugar conhecida

mas aqui somente

CCS, 28 de julho de 2019

Written by

Vernacular / Escritora / Papelaria autoral / Atelier do Centro www.vernaculareditora.com www.instagram.com/ccsvernacular www.conglomeradoatelierdocentro.com

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store